Merci d'etre parmis nous*Thank you for being among us* Gracias por estar entre nosotros*Obrigado por estar entre nós* Grazie per essere in mezzo a noi* Danke, dass Sie bei uns* Спасибо за то, что среди нас*Terima kasih kerana menjadi antara kita*私たちの間にいてくれてありがとう* شكرا لك لأنك بيننا
Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish

domingo, 24 de janeiro de 2010

Rimas(classificações)

Rima é um recurso que também ajuda a conferir musicalidade ao poema, com base na conformidade ou coincidência de fonemas(sons), geralmente no final de dois versos diferentes, podendo ocorrer também entre vocábulos no interior dos versos(rima interna).


Os versos de uma estrofe podem estar rimados entre si, em diversas combinações possíveis, como o primeiro rimar com o segundo, o primeiro com o terceiro, o primeiro com o quarto, o segundo com o terceiro, o segundo com o quarto etc.


Para efeito de análise, convencionou-se designar cada rima do poema por letras do alfabeto: primeiro tipo, A; segundo tipo, B; terceiro tipo, C; e assim por diante.


Estavas, linda Inês, posta em sossego, (A)
De teus anos colhendo doce fruito, (B)
Naquele engano da alma, ledo e cego, (A)
Que a fortuna não deixa durar muito, (B)
Nos saudosos campos do Mondego, (A)
De teus fermosos olhos nunca enxuito, (B)
Aos montes insinando e às ervinhas (C)
O nome que no peito escrito tinhas. (C)


(Camões - Os Lusíadas, canto 120)

A obra Os Lusíadas é um poema épico escrito por Luís de Camões, publicado em 1572. É constituído por dez cantos; cada canto possui um número variável de estrofes de oito versos (oitava), sendo cada verso composto por dez sílabas (decassilábico). A rima é cruzada nos seis primeiros versos e emparelhada nos dois últimos (ab ab ab cc).

Classificação das rimas

1º) Quanto à acentuação tônica:

a) Agudas: Quando a palavra final do verso for oxítona ou monossílabo tônico.

´´A medo lanças em mim?
No aperto de minha mão
Que sonho do coração
Tremeu-te os seios assim?``

(Álvares de Azevedo)

b) Graves: Quando os versos terminam com palavras paroxítonas.

´´E ela: "Vivo não és! Jurei domar um homem,
Mas de beijos não sei que a pedra fria domem!"

(Bilac)

c) Esdrúxulas ou Datílicas: Quando as palavras finais dos versos são proparoxítonas.

"Sobre as ondas argênteas do Adriático
Passa à noite o gondoleiro, e canta
E dobra a fonte, lânguido, cismático."

(Raimundo Correa)

2º) Quanto à coincidência de sons:

a)Rima perfeita, soante ou consoante: há correspondência completa de sons.


´´Tinha um berão pequenino

E uma criada velha com seu terão

Cresci de mais, como o destino!

Cresci de mais para o meu berão``


(José Régio)


b)Rima imperfeita, toante ou assoante: não há correspondência completa de sons.


´´ Ó meu ódio, meu ódio majestoso

Meu ódio santo e puro e benfazejo

Unge-me a fonte com teu grande beijo,

Torna-me humilde e torna-me orgulhoso.``


(Cruz e Sousa)


3º) Quanto ao vocabulário:


a) Rima pobre: Quando as palavras que rimam, pertencem à mesma classe gramatical.


´´Entre as ruínas de um convento,

De uma coluna quebrada

Sobre os destroços, ao vento

Vive uma flor isolada.``


(Alberto de Oliveira)


b) Rima rica: Quando as palavras que rimam, pertencem a classes gramaticais diferentes.


´´O coração que bate neste peito

E que bate por ti unicamente,

O coração, outrora independente,

Hoje humilde, cativo e satisfeito;``


(Luís Guimarães Jr.)


c) Rima rara: Feita entre palavras com reduzida possibilidade de rima, difíceis de encontrar ou com vocábulos pouco usados.


´´Penso que, no negror da meia em que surgis,

Deveis ser, pela alvura ebúrnea e macilenta,

Dois lírios côr de neve em dois vasos de ônix.``


( Antônio Feijó)

Nenhum comentário:

Postar um comentário