Merci d'etre parmis nous*Thank you for being among us* Gracias por estar entre nosotros*Obrigado por estar entre nós* Grazie per essere in mezzo a noi* Danke, dass Sie bei uns* Спасибо за то, что среди нас*Terima kasih kerana menjadi antara kita*私たちの間にいてくれてありがとう* شكرا لك لأنك بيننا
Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Os componentes da comunicação humana


O homem sempre necessitou de mudanças,de novas conquistas para a melhora de sua existência. Tudo que ele alcançou no curso de sua história está diretamente relacionado à linguagem: capacidade humana de exteriorizar o pensamento,através de um sistema organizado de sinais que serve como meio de interação entre os indivíduos.Essa necessidade de expressar suas ideias , por meio de sinais, chama-se comunicação.É através dela que o homem compartilha sua visão de mundo, suas experiências pessoais, suas expectativas, seus sentimentos etc.Um conjunto de sinais, utilizado e compreendido por toda uma comunidade, é chamado de código.

Assim, a atividade da linguagem depende de um sistema formado por fonemas(elementos distintivos) e de morfemas (elementos significativos). Esse sistema se estrutura de acordo com as oposições, interdependências e valores de elementos que, conforme a função específica e o conjunto de hábitos típicos de uma comunidade, criam um código através do qual se realiza a linguagem: a língua.

De todos os códigos utilizados pelo homem para expressar suas impressões, sem dúvida alguma o mais importante é a língua(o mais preciso, o mais econômico, o mais rico). Ao selecionar as palavras do código comum, o indivíduo é influenciado , consciente ou inconscientemente, pela sua personalidade , seu gosto, seu meio ambiente e sua cultura( conjunto de experiências de uma comunidade que se acumula graças à transmissão dos conhecimentos adquiridos através da linguagem). As classes cultas de uma comunidade estabelecem modelos para uso de uma língua, através da gramática, mas admitem uma aplicação especial para fins estéticos, a literatura.

A comunidade linguística portuguesa, por exemplo, é formada principalmente por Portugal, Brasil, Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe: são países que têm o português como língua oficial. Toda essa comunidade chamada lusófonas utiliza o mesmo código linguístico: a Língua Portuguesa. Apesar da obediência ao código ( língua), respeitando as variações regionais, podemos combinar de modo pessoal o material linguístico posto a nossa disposição e , dessa forma, criar a fala, ou seja, o uso que cada pessoa faz do código linguístico para imprimir um estilo particular de expressão.

Quando falamos com alguém, lemos um livro ou revista, estamos utilizando a palavra como código. Esse tipo de linguagem é conhecido como linguagem verbal, sendo a palavra escrita ou falada, a forma pela qual nos comunicamos. Existe outra forma de comunicação, que não é feita nem por sinais verbais nem pela escrita, é a linguagem não-verbal. Nesse caso, o código a ser utilizado é a simbologia. A linguagem não-verbal também é constituída por gestos, tom de voz, postura corporal etc.


Para que seja cumprida a função social da linguagem no processo de comunicação, há necessidade de que as palavras tenham um significado, ou seja, que cada palavra represente um conceito. Essa combinação de conceito e palavra é chamada de signo. O signo lingüístico une um elemento concreto, material, perceptível (um som ou letras impressas) chamado significante, a um elemento inteligível (o conceito) ou imagem mental, chamado significado.

O ato da comunicação implica busca de entendimento, de compreensão , de intercâmbio, ou melhor, contato. Envolve uma dinâmica que não pode dispensar as unidades que englobam o processo de comunicação: emissor, receptor, mensagem, código, canal e referente.



O emissor, também conhecido como fonte ou remetente, é o elemento que comunica, que formula a mensagem, codifica e envia a mensagem. Ocupa um dos pólos do circuito da comunicação.

O receptor é aquele a quem a mensagem se destina. A comunicação se concretiza no momento em que o receptor (destinatário ou recebedor) interpreta a mensagem, composta de certos signos identificáveis, pois pertencem a um código (língua) que ele conhece.

Chamamos mensagem àquilo que o emissor leva ao receptor, procurando traduzir as suas necessidades: informar, expor ideias e pensamentos, sensibilizar...Serve-se de um código que deve ser estruturado e decifrado. É preciso que a mensagem tenha conteúdo, objetivos e use um canal apropriado.

Código é o sistema organizado de sinais utilizado pelo emissor e de conhecimento do receptor.A atividade do emissor consiste em codificar a mensagem: vertê-la para um código.No outro pólo, o receptor, para que fique de posse da informação, procura decodificá-la, isto é, reconstituir a ideia do emissor a partir do código. O código pode ser verbal (que utiliza palavra falada ou escrita) e não-verbal (gestos, sinais de trânsito, expressão facial etc.).

Canal ou veículo é o meio que possibilita a transmissão da mensagem. Ele funciona no circuito da comunicação, como elemento comum ao codificador e ao decodificador.

Referente ou contexto é a situação circunstancial ou ambiental a que se refere à mensagem.

Um comentário: