Merci d'etre parmis nous*Thank you for being among us* Gracias por estar entre nosotros*Obrigado por estar entre nós* Grazie per essere in mezzo a noi* Danke, dass Sie bei uns* Спасибо за то, что среди нас*Terima kasih kerana menjadi antara kita*私たちの間にいてくれてありがとう* شكرا لك لأنك بيننا
Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2030

O navio negreiro - Castro Alves

Parte IV

Era um sonho dantesco... O tombadilho
Que das luzernas avermelha o brilho,
Em sangue a se banhar.
Tinir de ferros... estalar do açoite...
Legiões de homens negros como a noite,
Horrendos a dançar...

Negras mulheres, suspendendo às tetas
Magras crianças, cujas bocas pretas
Rega o sangue das mães:
Outras, moças... mas nuas, espantadas,
No turbilhão de espectros arrastadas,
Em ânsia e mágoa vãs.

E ri-se a orquestra, irônica, estridente...
E da ronda fantástica a serpente
Faz doudas espirais...
Se o velho arqueja... se no chão resvala,
Ouvem-se gritos... o chicote estala.
E voam mais e mais...

Presa nos elos de uma só cadeia,

A multidão faminta cambaleia,
E chora e dança ali!
Um de raiva delira, outro enlouquece...
Outro, que de martírios embrutece,
Cantando geme e ri...

No entanto o capitão manda a manobra
E após, fitando o céu que se desdobra
Tão puro sobre o mar,
Diz do fumo entre os densos nevoeiros:
"Vibrai rijo o chicote, marinheiros!
Fazei-os mais dançar!..."

E ri-se a orquestra irônica, estridente...
E da roda fantástica a serpente
Faz doudas espirais!
Qual num sonho dantesco as sombras voam...
Gritos, ais, maldições, preces ressoam!
E ri-se Satanás! ...

A terceira fase romântica é marcada por uma poesia de acentuado compromisso social. Denominada poesia condoreira, tem como símbolo o condor, cujo sentido é a liberdade de expressão e de linguagem. Victor Hugo foi o poeta francês que mais influenciou esta geração cuja poesia entra num processo de universalização, isto é, procura expressar a realidade de um grupo social.

Assim, seja por imitação dos padrões europeus, seja por simples entusiasmo romântico, o fato é que a poesia brasileira de caráter social restaurou sua identidade com o povo, anunciando o novo na vida nacional. Trata-se, portanto, de uma época de transição em que surge uma literatura preocupada com a denúncia social.

Castro Alves foi o mais importante representante da poesia condoreira no Brasil. Seus poemas sociais tratam de questões como a crença no progresso e na educação como forma de aprimoramento social, da República e, principalmente, o fim da escravidão negra. O tom vigoroso, a ressonância de seus versos, a indignação e a expressividade são elementos que consagraram o “poeta dos escravos”.


Condoreiro, a sua poesia serviu de instrumento de luta contra a escravidão, pois o seu tom de elevação era propício para récitas em locais públicos: praças, salões de leitura etc. A eloquência dos versos está evidenciada em poemas que denunciavam a vida miserável dos escravos. O poeta aproxima-se da realidade social, embora conserve ainda o idealismo e o subjetivismo românticos.


O navio negreiro” (ou “Tragédia no mar”), inserido na obra Os Escravos, é um dos poemas mais famosos de Castro Alves. Quando foi composto, em 1868, o tráfico de escravos já estava proibido no país; contudo, a escravidão e seus efeitos persistiram. Para denunciar a condição miserável e desumana dos escravos, o poeta valeu-se do drama dos negros em sua travessia da África para o Brasil.

Dividido em seis partes ( com alternância métrica variada para obter o efeito rítmico desejado em cada situação retratada), é apresentado da seguinte forma: na primeira parte, o eu lírico limita-se a descrever a atmosfera calma que sugere beleza e tranquilidade; na segunda parte, descreve marinheiros de várias nacionalidades, caracterizando-os como valentes, nobres e corajosos; na terceira parte, o eu lírico introduz a verdadeira intenção do poema – a denúncia do tráfico de escravos, através de expressões indignadas.


Na quarta parte, o eu lírico passa a descrever, com detalhes, os horrores e castigos de um navio de escravos.

Na quinta parte, ele invoca os elementos da natureza para que destruam o navio e acabem com os horrores que mancham a beleza do mar, destacando a vida livre dos negros na África e a escravidão a que são reduzidos no navio.

Finalmente, na sexta parte, ele indica a nacionalidade (brasileira), invocando os heróis do Novo Mundo, para que eles, por terem aberto novos horizontes, possam acabar com a infâmia da escravidão.



Comentários sobre o poema

O texto apresentado(a parte IV de “O navio negreiro”) é a descrição do que se via no interior de um navio negreiro. Note a capacidade de Castro Alves em nos fazer “ver” a cena, como se estivéssemos em uma montagem teatral: o tombadilho do navio transformado em um palco infernal.

Os versos têm dez sílabas métricas que se alternam com versos de seis sílabas métricas; as sílabas tônicas são construídas pela sexta e a décima; o esquema das rimas é aabccb; todas as estrofes transcritas são compostas de seis versos.

O rompimento do equilíbrio métrico ( os versos são heterométricos) é uma conseqüência do quadro horroroso configurado. A descrição é crua e a cena revoltante. A repetição da terceira estrofe no final dá-lhe uma natureza de refrão.

Outro dado interessante é o emprego que o poeta faz da linguagem, trabalhando ora os adjetivos para descrever com mais expressividade o cenário e o elemento humano, ora os verbos para reforçar o dinamismo do "balé". A grandiloqüência vem com toda com toda força, onde o exagero cumpre, sem dúvida, a função de emocionar( passa a focalizar o drama que é o fulcro do poema).

Logo no início, o eu lírico compara o navio negreiro a um “sonho dantesco”. Com essa expressão, faz referência às terríveis cenas descritas pelo escritor italiano Dante Alighieri, em “O inferno”, parte da obra A divina comédia. Horroriza-se com a situação infame e vil dos negros no tombadilho( as correntes, o chicote, a multidão, o sofrimento, a “dança”macabra). O ritmo nos é dado por algumas palavras especiais de acentuada sonoridade(“tinir”, “estalar”, por exemplo).

Repare na imagem das “Negras mulheres”: não há mais leite para alimentar as “magras crianças”(somente sangue) e, por citar as “tetas”, faz-se analogia a um mero animal. Ao descrever as moças nuas (condição de ausência de proteção) espantadas, arrastadas em meio à multidão de negros esquálidos (magros), o eu lírico apela para que o leitor sinta piedade pelo sofrimento do ser humano (piedade cristã). As reticências conduzem à reflexão, à intensidade da dramaticidade diante da situação condenável, horrenda.

Do ponto de vista cromático, duas cores são postas em contraste na primeira e segunda estrofes. Estas cores são o vermelho e o preto, que compõem o dramático painel em que o sangue dos escravos contrasta com o negro de sua pele.

Há reincidente uso de imagens que sugerem desespero, sofrimento e dor. A exposição do velho arquejando(desumanização), acompanhado do chicote ( a serpente que “faz doudas espirais”), assemelha-se a de um animal, que acompanha a “orquestra”( os marinheiros aparecem representados pela orquestra que comanda a dança) sem reclamar... E essa “tragédia” se completa quando essa “multidão faminta”, que sofre sem cessar, geme de dor, chora e delira... Enfraquecidos, eles enlouquecem.

A cena é de uma crueldade atroz, já que, para se divertir, os marinheiros surram os negros. Repare no efeito expressivo da antítese que contrapõe o céu puro sobre o mar e a figura do capitão (regente da orquestra) cercado de fumaça. Ela estabelece o contraste entre a natureza como obra divina e a escravidão como obra demoníaca.

Depois de apresentar o navio como uma visão dantesca, uma figura diabólica (que também aparece no final da obra “A divina comédia”) é utilizada para o desfecho da última estrofe, finalizando a quarta parte do poema. O eu lírico ressalta o prazer (novamente exposto pelo verbo “rir”) daqueles que torturam (uma orquestra irônica, estridente)em oposição ao sofrimento dos escravos (um trágico balé dançado) para deleite de Satanás.

Observe algumas figuras de linguagem em destaque no poema:

Metáfora
“Era um sonho dantesco” (referência às cenas horríveis descritas por de Dante Alighieri no “Inferno” de sua Divina Comédia),
“ a serpente faz doudas espirais...”( a serpente seria o chicote usado pelos marinheiros),
“E ri-se a orquestra irônica”( a expressão caracteriza os marinheiros que comandam a dança).

Hipérbato
“Que das luzernas avermelha o brilho”( a ordem direta seria: Que o brilho das luzenas avermelha).

Comparação
“Legiões de homens negros como a noite”.

Hipérbole
“No turbilhão de espectros arrastadas”,
“sangue a se banhar”

Metonímia
“O chicote estala”.

A poesia abolicionista de Castro Alves demonstra que ele aprendeu muito bem o que ensinava o “mestre” Victor Hugo, ou seja, a possibilidade de registrar artisticamente não apenas o belo, mas, também, o grotesco. Nesse sentido, o condor francês lega ao condor brasileiro a audácia das imagens, no empenho da luta.

“O navio negreiro” – considerado seu melhor trabalho nesse campo – ilustra muito bem como o poeta tratava o tema: a escravidão negra era vista como uma instituição inadmissível num mundo que caminhava para um futuro melhor, em que o progresso tecnológico daria ao homem condições mais dignas de existência.

81 comentários:

  1. suas postagens são sempre tão completas, parabens! seu blog virou leitura obrigatoria para mim :)

    ResponderExcluir
  2. Long time no hear from you...Great post; they say we all come from Afrika!

    ResponderExcluir
  3. Olá! Retribuindo a visita, constando igualmente além de conteúdo, informações preciosas literárias! Bem-vindo!

    ResponderExcluir
  4. Como sempre, mais um rigoroso trabalho, que faz deste espaço uma parada obrigatória.
    Obrigado.
    Gilson.

    ResponderExcluir
  5. Fiquei mais rica. Gostei imenso de ler as suas analises e o modo como o faz.

    Abraço
    cvb

    ResponderExcluir
  6. Hi Nelson, I trust you are well and I must say this post has expanded my knowledge base. Although,I've been a student of African/African American History--there is still so much more to learn.
    An unknown author stated that "music is what feelings sound like" and I feel that poetry is one of the truer literary expressions of the human condition. Informative piece.
    Take care...
    Carolyn Moon
    USA

    ResponderExcluir
  7. Olá Nelson, vi seu comentário no meu blog e vim retribuir e conhecer o seu. Excelente o seu blog.Gostei muito da postagem sobre Vinícius de Moraes.Já o estou seguindo e voltarei outras vezes...
    Gostaria de fazer um pedido para que me ajude indo no link abaixo e deixando um recadinho.Estou concorrendo com o meu texto:"Transformando um Sonho em Realidade" no concurso Educação Nota 10 do Globo.
    A segunda etapa do concurso já aconteceu e consegui ser classificada, graças ao apoio de minhas amigas(os) blogueiros.
    Por favor, visite o link e deixe um comentário por lá.

    Esse é o link:
    http://www.educacao10.syncmobile.com.br/?p=576

    Qualquer problema, postei também o link no
    post "Pedido de ajuda" no meu blog(http://ler-com-prazer.blogspot.com), é só ir lá e clicar
    Obrigada!
    Paz e Luz!

    ResponderExcluir
  8. Bravo! Iluminou tudo com seus esclarecimentos. Se ainda fosse vivo, o poeta teria muito material para discorrer sobre escravidão, eis que nos livramos, aparentemente, dela, nas condições traçadas. E passamos a viver outras.

    Abraços

    ResponderExcluir
  9. Me ha gustado mucho, Nelson. Estupendo post. Felicidades.
    Un fuerte abrazo.

    ResponderExcluir
  10. The poem is beautiful. The imagery comes across both light and dark. Thank you for introducing it to me.

    ResponderExcluir
  11. Oi, Nelson!
    Que bom que gostou do meu blog. Ele é o meu exercício diário de novos olhares sobre a vida e a arte de escrever. E o seu é importantemente didático. Passarei aqui mais vezes.

    Bjo

    ResponderExcluir
  12. Olá! Retribuindo a visita que me fez!Muito obrigada pelo comentário suas palavras serviram como uma grande motivação.
    Seu blog,é muito informativo e suas analises maravilhosas... PARABÉNS
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Hello :) Thanks for stopping by my blog. I've been following your blog for awhile. I always enjoy your posts.

    Best, Cherie

    ResponderExcluir
  14. Olá, Nelson! Gostei muito da postagem, tempo triste esse, infelizmente a escravidão ainda acontece nessa terra. Uma ótima semana pra você. Beijos!

    ResponderExcluir
  15. ja estudei muito sobre o assunto, e acho o maximo trasnformar conteudo em poesia.

    ResponderExcluir
  16. Nelson é quase uma honra que tenha gostado do meu blog! Vc me tirou o fôlego com essa analise! Vim retribuir tua visita e entendi porque colocou a palavra TEMPINHO entre aspas!
    Estou exatamente estudando contrução de frases em um curso que faço e fiquei e precisa ter um tempão para poder apreciar teu blog!
    Eu adorei e já vou de cara dizer que não te abandono mais!

    É um assunto que sempre mexeu muito comigo essa tal da escravidão! Esse filme então é fantástico!

    Adorei tua aula! Já estou te seguindo!

    Bjos!

    ResponderExcluir
  17. Excelente postagem, Nélson!
    Esse poema "Navio Negreiro" sempre me impressionou. A dor e o sofrimento de nossos irmãos escravos é uma marca triste e profunda na história de nosso país!
    Abraços, com carinho,
    Angela

    ResponderExcluir
  18. Consigo ver as imagens do poema, bem interessante o seu blog. Uma pena Castro Alves ter morrido antes.

    ResponderExcluir
  19. Castro Alves realmente foi um dos maiores nomes da nossa poesia!
    Belíssimo POST :)
    http://cantinhocomtudo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  20. Oi, Nelson!
    Fiquei feliz c a sua visita! Obrigada!! Adorei o seu blog, ótimas postagens. Também sou graduada em Letras.
    Um abraço e volte sempre.
    Luciana

    www.voudeblog.com

    ResponderExcluir
  21. Olá... retribuindo a visitinha e parabenizando pelo seu blog! Voltarei sempre... bjs!

    ResponderExcluir
  22. Nelson
    Cuando tengo tiempo y quiero darme un baño de cultura, vengo a tu blog, es realmente estupendo y enriquecedor...
    Besitos en el alma
    Scarlet2807

    ResponderExcluir
  23. Castro Alves! e suas obras maravilhosas, e esse poema Navio Negreiro, estudei no meu 1 colegial.
    bom, muito bom!

    ResponderExcluir
  24. Oh, dá-me esse dom homem, de escrever tão bonito assim!

    ResponderExcluir
  25. Nelson, impresionante lectura, me encanto, hermoso poema, me encanta tu blog
    Un Saludo
    Liliana

    ResponderExcluir
  26. Nelson, muito obrigado pela leitura e por seguir meu humilde blog, não sou um especialista como você, mas procuro mostrar um pouco da minha visão do mundo através da minha literatura preferida, por isso sinta-se a vontade para acrescentar e colaborar com meu blog.Quanto as suas postagens, concordo com seus demais seguidores, são maravilhosas e mostram uma análise completa, por isso é um ponto de visita obrigatório para aprendisado e reflexão. Abraço,amigo!

    ResponderExcluir
  27. Un hermoso poema, una explicación maestra, ¡Felicitaciones Nelson! Que tengas una hermosa semana,Elsa

    ResponderExcluir
  28. Hola Nelson, un poema lleno de sentires que me entristece el alma. Muy buena la explicacion que compartes. Fue un placer leerte. Besos, cuidate.

    ResponderExcluir
  29. Hermoso post dedicado a esa pobre gente que sufrio el esclavismo...maravilloso trabajo de recopilacion en este articulo lleno de matices que nos llevan a recordar una etapa muy dura del ser humano, capaz de hacer cosas tan ruines como esta...gracias por tu visita, besos con mi ternura.

    ResponderExcluir
  30. Your post are always beautiful and insightful. It's always a pleasure to stop by.

    ResponderExcluir
  31. i'ts very informative article,thanks for share information.. .

    ResponderExcluir
  32. A brilliant read! I enjoy your posts tremendously. you put a lot of hard work into your analysis and your images are always a great accompaniment to the poems you share. Bravo :D It is a pleasure to visit your blog:D

    ResponderExcluir
  33. This story touches my heart. I couldn't imagine if I belong to this race and I am born slave. I really felt pity on them that is why it is not good to underestimate other people regardless to their racial and economical status.
    Drain Camera

    ResponderExcluir
  34. great ..i love it ! is so beautiful what are you doing here ,dear ! lovelyy :)

    ResponderExcluir
  35. Olá Nelson. Castro Alves é um clássico maravilhoso e o seu Navio Negreiro um símbolo de revolta contra a imundície que é a intolerância, a qual impregnava e ainda impregna a alma humana. Obrigada pelo lindo comentário em meu blog. Volte sempre! bjusss

    ResponderExcluir
  36. Oi meu querido, fiquei muito feliz com sua visita.
    Seu blog, como sempre fantástico e cheio de grandes conhecimentos. Como essa postagem do Navio Negreiro, que nos remete a refletir sobre o sofrimento de um povo guerreiro e forte! E que nos faz pensar tbm sobre o verdadeiro significado da vida.
    Parabéns por tamanha inspiração.
    Um abraço! E fique na paz.

    ResponderExcluir
  37. ES UNA NOVELA,IMAGINARIA O NO,ENCANTADORA!GRACIAS
    LIDIA-LA ESCRIBA



    BLOG ACTUALIZADO

    ResponderExcluir
  38. Bom dia!
    É com grande prazer que passo a te seguir.E logo de cara encontro essa criação maravilhosa de Castro Alves,tenho o imenso prazer de te dizer que declamo essa poesia inteira.Já fiz uma encenação com elas. Meus alunos vestidos de escravos, sujos acorrentados em cima de um grande barco.Luzes apagadas tochas de fogo.Era um sonho dantesco realmente. 26 alunos recitaram essa poesia.Só de escrever me arrepio.
    Gostei muito da análise que fez .
    Grande abraço
    se cuida

    ResponderExcluir
  39. CÓMO SE HACE? CÓMO...DIMELO QUIERO SABER!!!!UN SUNTUOCIDAD LEERTE
    GRACIAS
    LIDIA-LA ESCRIBA



    BLOG ACTUALIZADO,VEN

    ResponderExcluir
  40. Olá Nelson!
    Primeiramente quero lhe agradecer pela presença lá no meu cantinho e fique à vontade em voltar sempre que desejar!
    Fiquei encantada aqui com seu espaço.. muito bem detalhista em relação as poesias o que nos entretém ao máximo.. vejo que tenho muitas coisas por aqui ainda para ler.. com certeza voltarei para retomar minhas leituras.
    Beijo grande em seu coração...
    Verinha

    ResponderExcluir
  41. A algum tempo não visito seu blog sua postagem referente
    a Castro Alves sabia bastante coisa mais confesso aqui tive uma verdadeira lição.
    Uma linda semana beijos.
    Evanir.

    ResponderExcluir
  42. Hola! Nelson gracias por tus visitas y comentarios es un gusto para mi tenerte en mi blog! eres siempre bienvendo!! es un placer seguir tu espacio, besos y abrazos.., feliz dia :)this history is great
    I like thanks

    ResponderExcluir
  43. Hi Nelson, gracias por tus visitas a mi blog siempre abierto para tí, me encantan las entradas que haces en serio, gran novela! Te espero, besos! :)

    ResponderExcluir
  44. Olá Nelson, fiquei feliz pelo comentário que deixou no meu blog. Seu blog parece ser bem abrangente na área que você defende. Sinceramente hoje aprendi a valorizar mais a Literatura devido a abrangência da área da Psicanálise. Preciso estudar mais para ampliar meus conhecimentos de estudos. Sucesso e abraço, Cynthia

    ResponderExcluir
  45. Obrigada Nelson pela visita e retribuo a mesma com muita gratidão, pois os conteúdos do seu espaço é fabuloso, sairei daqui mais enriquecida...
    Ficarei a navegar por cá por mais um tempo...nesse tempo deixarei meu: pó-magico.blogspot.com Apareça sempre, será uma grande prazer recebê-lo em meu espaço.
    Um doce beijinho!

    ResponderExcluir
  46. Nelson querido, de saída do BUTECO POÉTICO, passei para uma visita rapida... mas vi ser impossível a rapidez por aqui... aqui é sala de estudo, de reflexão, de aprendizado... o tempo aqui tem de vir largo, acompanhando a inspiração... adorei o pouco que pude ver até agora... se desejar fazer parte como autor no BUTECO POÉTICO, forneça-me uma conta de email, para que possa direcionar o convite. Será um prazer... (butecopoetico@gmail.com). Beijos de VC

    ResponderExcluir
  47. Blog de belíssimo conteúdo e bom gosto.Raro na blogosfera .Parabéns MESMO! adorei.
    obrigada pelo carinho
    já lhe sigo e voltarei
    bjs

    ResponderExcluir
  48. Os escravos formam uma parte muito importante na história da humanidade e sempre será lembrada.

    Eu gosto de literatura, vou seguir aqui.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  49. Olá Nelson

    Também gostei muito do seu blog!
    Vim retribuir a visita e achei tudo muito interessante por aqui.
    Voltarei sempre que puder.
    Se quiser visitar e seguir o meu também ficarei muito feliz.

    Beijos.
    Ani 

    http://cristalssp.blogspot.com

    ResponderExcluir
  50. Olá Nelson, obrigada por visitar meu humilde blog, saiba que já estou a te seguir, amei o seu espaço. Não tem muito tempo que comecei a escrever, estou aos poucos colocando no meu blog os meus poemas, fico intercalando com outros de autores famosos.Comecei a escrever tem uns 5 anos, e a nossa literatura é muito rica e envolvente, penso que nunca é tarde para adquirir conhecimentos.
    CASTRO ALVES é o poeta que se destaca na poesia de caráter social. É o poeta da liberdade, denunciando desigualdades sociais, lutando sempre em favor dos oprimidos. Conhecido como o poeta dos escravos, e também autor de poemas líricos amorosos com uma visão menos idealizada.
    Nelson, pode estar certo, estarei sempre aqui neste seu blog maravilhoso parabéns.
    abraços

    ResponderExcluir
  51. Oi, Nelson, vim retribuir sua visita, ótimo espaço o seu, parabéns! Um abraço!

    ResponderExcluir
  52. Voltei em seu blog exclusivamente para ler sua postagem
    não por entender muito mais quero de alguma forma estudar poemas
    que até então nunca havia lido.
    Tem riqueza de detalhes na verdade sou uma pessoa com desejo de aprender sempre.]
    Feliz semana.

    ResponderExcluir
  53. Oie amiguxinho kiido...Castro Alves .belissima postagem..um mega Poeta !!!!Uma feliz semaninha ...se cuide beijokinhas !!!

    ResponderExcluir
  54. O Poeta é um fingidor,
    finge tão completamente que chega a
    fingir que é dor a dor que deveras sente .
    *Fernando Pessoa*
    Um Feliz Dia Internacional Da Poesia
    Creio Que Existe Em Todos Nos Um
    Cantinho De Poetar No Coração.
    Mais Esse Dom Não Foi Dado
    A Todos.
    Um Abraço Carinhoso Pelo
    Dia Internacional Do Poeta.
    De Um Dia Tão Importante Para Todos Nos.
    Tem Um Mimo Na Postagem .
    Caso Gostar Foi Feito Com
    Muito Carinho.
    Beijos e Beijos.
    Evanir.

    È com muito carinho que estou aqui nessa noite
    você merece que nesse dia não seja esquecido és para mim um grande poeta por isso vim oferecer um mimo para estar sempre lembrando de mim também.

    ResponderExcluir
  55. Precioso diamante tua escolha meu amigo! O poeta dos escravos, o poeta do altruísmo... eu diria. Um artista de verdade, (porque assim o é aquele que está anos á frente de seus contemporâneos) um homem com olhar de igualdade e discernimento do que significa Ser um Humano. Um homem que falou no passado o que ainda existe... "Negras mulheres suspendendo ás tetas, magras crianças cujas bocas pretas rega o sangue das mães". Realidade cruel dantesca ironicamente, gigante! -como o hino nacional... o poeta dos escravos ainda escreve para o país dos escravos... "E chora e dança ali, um de raiva delira o outro enlouquece." E só alguém que vê o mundo com muito amor e sensibilidade pode perceber de onde vem tamanha loucura ou o delírio... Ele foi chicoteado? Como poderia sentir? exatamente a vida toda a vida dos escravos? Mas viu a alma. Olhou de frente o rosto: "No entanto o capitão manda a manobra, e após, fitando o céu que se desdobra, tão puro sobre o mar(...)" calmamente em seu fumo... depois destoa para nós em sua fala, mas na fala dele experimenta gozo... sensação de liberdade... fitar o céu e bater sua vaidade! E há tantos destes rostos por aí... é realidade imensa, a personalidade (...???) Perdão! Não sei que nome usar, mas penso em um sinônimo... conhecido mundialmente e sempre digo: "existem tantos destes por aqui neste mundo". Mário Quintana disse: "os sádicos amam de verdade"... é talvez uma forma irônica de amor não?? A de ter gosto em ver ferimento dor e sangue, pele marcada em dor... sim! Concordo é uma forma de amor, doentio e desgraçado... olhar o rosto marcado á carne e sentir satisfação!
    Eu li Castro aos 12 anos, com muita paixão! Porém alguns detalhes de sua vida não recordo... mas os poemas, preciosos fazem parte do meu quarto... e das minha indagações humanas! Obrigada pelo convite! Abraços!

    ResponderExcluir
  56. Fiquei super feliz com sua presença.
    Maravilhosa sua postagem.
    Um primor e bem detalhada.
    Ler sobre o grande poeta Castro Alves é um grande prazer... Ele é um dos meus poeta favoritos.
    Li, reli, gostei e voltarei.

    Mais uma vez obrigada e estarei te seguindo!

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  57. Bom Dia!
    Obrigada por visitar meu blog.,
    depois que te visitei então,
    fiquei envergonhada, pois
    diante de teus textos,não
    não escrevo nada...Apenas brinco
    de escrever!
    Isso sim é "ESCRITA", que vergonha...
    Peço-lhe a gentileza e verdade em
    tuas palavras quando fores me visitar.
    Adoraria ler tuas criticas, mesmo porque,
    as vezes, nem sei se minha ortografia
    esta correta, pois ninguem tem coragem de
    me corrigir...Seguidores Amigos.
    Estarei sempre por aqui...Abraços

    ResponderExcluir
  58. Olá. Vim conhecer o seu espaço e muito me agradou. A começar pela postagem sobre Castro Alves. Um justa homenagem. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  59. "Solo il male si perde" ... ecco perché esiste la nostalgia... Grazie Nelson.

    ResponderExcluir
  60. Hi, Nelson!
    Thank you for visiting my blog and thanks that you liked.
    Your blog is great... so interesting and instructive!

    Greetings from me*)
    with love,
    Helena_VS
    *)

    ResponderExcluir
  61. Hola!! Buenos días Nelso Seguiré visitándote escribes muy bien interesante tu historia

    Que tengas un feliz día

    ResponderExcluir
  62. hola Nelson,
    muy interesante tu historia, la acompanas con fotografías muy especiales.

    un gusto volver a verte y leerte^^

    ResponderExcluir
  63. ✽.¸¸.•*`❀✽.¸¸.•*.‏Good reading✽.¸¸.•*`❀✽.¸¸.•*.Love all the diffenert comments✽.¸¸.•*`❀✽.¸¸.•*.‏Kisssss✽.¸¸.•*`❀✽.¸¸.•*.Thanx for for sharing✽.¸¸.•*`❀✽.¸¸.•*.‏Kisssss✽.¸¸.•*`❀✽.¸¸.•*.

    ResponderExcluir
  64. Hello thanks for your visit!!!
    I follow you!!
    Kiss!! Good job

    ResponderExcluir
  65. Thank you for visiting my blog and for the sweet wishes!
    I wish you a happy holidays and a beautiful new year.

    I am following you back.
    http://jayhags.blogspot.com

    ResponderExcluir
  66. ✽.¸¸.•*`❀✽.¸¸.•✽
    Bonjour Cher Nelson ! :o)
    Je te remercie pour cette publication
    Les mots et les images sont très dures
    mais elles sont vraies
    Nous ne devons pas oublier l'histoire de l'esclavage.
    Nous devons garder cette mémoire pour ne pas que ça recommence un jour.
    Passe un bon début de semaine !!!

    GROS BISOUS d'Asie et merci pour ta visite sur mon blog !!!!!!!
    ✽.¸¸.•*`❀✽.¸¸.•✽

    ResponderExcluir
  67. Hola Nelson! Estupendo post!

    Thank you for visiting my website and for your kind comments on my blog. I look forward to reading more from you!

    ResponderExcluir
  68. merhaba Nelson. ziyaretin için teşekkür ederim. iyi dileklerin beni çok mutlu etti. bende sana özgür bir dünya ve mutluluklar diliyorum. yeni yılınız kutlu olsun

    ResponderExcluir
  69. Hello my friend!
    Thanks for your visit and your words on my blog.
    Your blog is very interesting.
    I would like to wish you a wonderful Merry Christmas and a Happy New Year!
    Hug!

    ResponderExcluir
  70. hi!
    thank you for visiting my blog and for your comment on my blog.
    I am following you back.
    thank you for the sweet wish and I wish you happy holidays and a beautiful new year.
    your blog is very interesting. compliments!
    greeting from italy

    ResponderExcluir
  71. Thanks Nelson, for visiting my blog, for becoming a follower and for leaving your comment with such nice words, that has allowed me to know your amazing and great blog, I will stay here to read more of your posts. Meanwhile I wish you a wonderful Christmas time and a great New Year with my very best wishes for you,

    ResponderExcluir
  72. Nelson: tu blog es excelente, muy interesante.Felicitaciones. Feliz Navidad. Elen Lackner

    ResponderExcluir
  73. Me he quedado impresionada con tu blog, puedes estar seguro de que entraré, porque me gusta lo bueno y darte las gracias por seguirme. Un abrazo

    ResponderExcluir
  74. já li Castro Alves e gosto muito.
    Excelente Blog.
    Tomei a liberdade de adicionar o seu link no meu Blog:
    http://rimasfotoscompanhia.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  75. !!Hola,Nelson!!

    Muchas gracias por quedarte en mi humilde espacio, y por tus palabras tan amables.Tienes un blog cargado de muy buena escritura y magníficos textos,gracias por hacerme participe de tu exquisito blog.

    Muchísimos besitos,nelson.

    ResponderExcluir
  76. Muito bom mesmo, esse site. Sou estudante do ensino funfamental e esse texto me ajudou muito. obrigada...

    ResponderExcluir
  77. I studied slavery and this post has brought back some of the memories of the lives of enslaved people. Great post!

    ResponderExcluir
  78. Ao passar pela net encontrei seu blog, estive a ver e ler alguma postagens é um bom blog, daqueles que gostamos de visitar, e ficar mais um pouco.
    Eu também tenho um blog, Peregrino E servo, se desejar fazer uma visita
    Ficarei radiante se desejar fazer parte dos meus amigos virtuais, saiba que sempre retribuo seguido também o seu blog. Deixo os meus cumprimentos e saudações.
    Sou António Batalha.

    ResponderExcluir
  79. Oi amigo, passando para lhe desejar uma ótima semana, abraços!!

    ResponderExcluir
  80. Muito. Bom. O Navio Negreiro é um must read do Castro Alves e o Amistad, filme polémico do Spielberg, é um must see da 7a arte, contando com excelentes interpretações. Está semana tenho o 12 year Slave para ver...
    Bom blog , este. A minha filha é historiadora e eu adoro um bom bio- post, nem que seja sobre a biografia da escravatura.

    Abraço. D

    acontarvindodoceu.blogspot.pt

    ResponderExcluir