Merci d'etre parmis nous*Thank you for being among us* Gracias por estar entre nosotros*Obrigado por estar entre nós* Grazie per essere in mezzo a noi* Danke, dass Sie bei uns* Спасибо за то, что среди нас*Terima kasih kerana menjadi antara kita*私たちの間にいてくれてありがとう* شكرا لك لأنك بيننا

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Canção da Primavera - Mário Quintana

Primavera cruza o rio
Cruza o sonho que tu sonhas.
Na cidade adormecida
Primavera vem chegando.

Catavento enloqueceu,
Ficou girando, girando.
Em torno do catavento
Dancemos todos em bando.

Dancemos todos, dancemos,
Amadas, Mortos, Amigos,
Dancemos todos até
Não mais saber-se o motivo...

Até que as paineiras tenham
Por sobre os muros florido!

Jornalista, tradutor e escritor, Mário Quintana(1906 – 1994) nasceu na cidade de Alegrete (1906), no Rio Grande do Sul.

“Nasci no rigor do inverno, temperatura: 1 grau; e ainda por cima prematuramente, o que me deixava meio complexado, pois achava que não estava pronto. Até que um dia descobri que alguém tão completo como Winston Churchill nascera prematuro - o mesmo tendo acontecido a Sir Isaac Newton!”.

Após frequentar algumas escolas em sua cidade natal, é matriculado no Colégio Militar de Porto Alegre(1919), onde começou a produzir seus primeiros trabalhos na revista Hyloea, editada pelos próprios estudantes. Em 1924, deixa o referido colégio e emprega-se na Livraria do Globo (editora de renome nacional), onde trabalha por três meses com Mansueto Bernardi.

O talento para a literatura se manifestou cedo. Aos 20 anos, venceu um concurso promovido pelo jornal gaúcho “Diário de Notícias" com o conto “A Sétima Personagem”.

Em 1929 ingressou no jornal O Estado do Rio Grande. Após ter participado da Revolução de 1930, mudou-se para o Rio de Janeiro. Retornou, em 1936, para a Livraria do Globo, em Porto Alegre, onde trabalhou sob a direção de Érico Veríssimo. Traduziu Charles Morgan, Rosamond Lehman, Lin Yutang, Proust, Voltaire, Virginia Woolf, Papini, Maupassant, Balzac, Gram Greene, Conrad, dentre outros. Com certeza, foi um dos responsáveis pelo acesso do povo brasileiro às obras da literatura internacional.

Seu primeiro livro de poesias, A Rua dos Cataventos, que reúne sonetos de influência parnasiana, é publicado em 1940 ( coletânea que passou a ser inserida em diversos livros escolares). Entre suas principais obras, estão Aprendiz de feiticeiro (1950), Antologia poética (1966), Caderno H (1973) e A vaca e o hipogrifo (1977). Dentre os livros que escreveu para crianças, destacam-se Pé de Pilão (1966), Lili inventa o mundo (1983) e Nariz de vidro (1984).

A poesia de Quintana é marcada pelo lirismo, pelo bom humor e pela crítica voltada à massificação característica das sociedades contemporâneas. Focalizando temas aparentemente simples (como o amor, a vida, a morte, a velhice e a religiosidade) seus poemas incorporam a fantasia e o universo da infância.

Com excepcional capacidade de cativar leitores( talvez porque soubesse extrair reflexões e sentidos de eventos do dia a dia, quase banais, com leveza, ternura e sutil ironia), Quintana era também admirado por poetas como Drummond, Vinícius e Cecília Meireles. De Manuel Bandeira, recebeu elogios:

Meu Quintana, os teus cantares
Não são, Quintana, cantares:
São, Quintana, quintanares

Quinta essência de cantares...
Insólitos, singulares...
Cantares? Não! Quintanares!

Em uma entrevista, chegou a dizer que a sua vida estava descrita nos seus poemas:

"Minha vida está nos meus poemas, meus poemas são eu mesmo, nunca escrevi uma vírgula que não fosse uma confissão".

Em 1960, foi publicada a sua “Antologia poética”, organizada por Rubem Braga e Paulo Mendes Campos, com mais de 60 poemas inéditos. A obra teve boa repercussão no meio editorial e recebeu o Prêmio Fernando Chinaglia como melhor livro do ano.

Despreocupado em relação à crítica, faz poesia porque "sente necessidade", segundo suas próprias palavras.

O poeta candidatou-se três vezes à Academia Brasileira de Letras, mas nunca lhe deram a vaga. Depois da terceira recusa, ele ironizou os imortais com seu conhecido “Poeminha do Contra”:

Todos esses que aí estão
Atravancando meu caminho,
Eles passarão...
Eu passarinho!

O poeta recebeu inúmeras homenagens durante a vida, mas morreu negando as reverências:

Dizem que sou modesto. Pelo contrário, sou tão orgulhoso que acho que nunca escrevi algo à minha altura. Porque poesia é insatisfação, um anseio de autossuperação. Um poeta satisfeito não satisfaz.

Em 1980 recebe da Academia Brasileira de Letras o prêmio Machado de Assis, pelo conjunto de sua obra. Em 1981, foi agraciado com o prêmio Jabuti de Personalidade Literária do Ano.

O Príncipe dos Poetas Brasileiros (como era conhecido) faleceu com quase 90 anos.

"Amigos, não consultem os relógios quando um dia me for de vossas vidas... Porque o tempo é uma invenção da morte: não o conhece a vida - a verdadeira - em que basta um momento de poesia para nos dar a eternidade inteira".

Comentários sobre o poema

Para receber o conteúdo completo (análise do poema), entre em contato através do e-mail:
literaturacomentadablog@gmail.com
Obs: Este Blog não possui patrocinadores. Contribua para mantê-lo atualizado.



Canção da Primavera” é um texto que se apresenta na forma de três quartetos e um dístico final, mostrando-nos a intenção deliberada do autor de fazer um poema que celebrasse a chegada da Primavera, em versos heptassílabos.

O eu lírico passa-nos a ideia da chegada suave da nova estação, a estação da vida, da florescência e do amor. No primeiro verso, o substantivo rio, contribui para realçar os conceitos de vida (água = fonte da vida) e da passagem do tempo (simbolizada no correr das águas). Este ressurgimento de novas esperanças de vida é realçado também pelo sonho, fonte de fruição dos desejos (“o sonho que tu sonhas”).

Repare que o ritmo e as sonoridades da primeira estrofe acentuam o caráter lírico da composição. No primeiro verso, temos a aliteração do “r” (“Primavera cruza o rio”), a anáfora com o segundo verso (cruza/cruza), ao que se soma a metonímia encontrada no terceiro verso ("cidade adormecida") e o hipérbato (aqui desfeito): “Primavera vem chegando na cidade adormecida”.

Logo em seguida, o eu lírico descreve as transformações ocorridas com a chegada da Primavera e a reação das pessoas. É um momento de festa, de liberdade e de não interdição, simbolizada no enlouquecimento do catavento e na igualdade dos homens, que se encontram sem diferenças sociais, o que é expresso pelo coletivo bando, e que, dançando em torno do catavento, parecem cúmplices da sua loucura. Enfatizando esse aspecto, temos a repetição no uso do gerúndio (girando, girando), aproximando a loucura do catavento à dos homens.

Todos são convocados para esta dança de sagração da Primavera: as amadas, os mortos, os amigos. E, já que todos sabem o motivo desta dança ( a chegada da estação do amor, das flores e da esperança), devem dançar até a extenuação, ou até que os muros (as interdições, as proibições e os obstáculos construídos pelos homens) estejam plenamente floridos graças ao espírito da Primavera.

35 comentários:

  1. Mario Quintana foi certamente um dos três poetas mais fantasticos que esse pais ja teve.
    Boa escolha de assunto

    ResponderExcluir
  2. "Cantares? não! Quintanares."
    Bandeira acertou ao poetizar o jeito singular que Quintana escrevia.

    ResponderExcluir
  3. BESOS DULCES,PARA TU POST!
    HAN PASADO MIL LUNAS,QUE NO ESTUVE...
    FINALMENTE BLOG ACTUALIZADO!
    TE INVITO SI QUIERES!
    LIDIA-LA ESCRIBA

    ResponderExcluir
  4. Un placer volver a leerte y que me presentes a tan maravilloso personaje, que escribe esos versos tan bellos, perdona mi ignorancia, pero no le conocía, así qué muchas gracias...
    Besitos en el alma
    Scarlet2807

    ResponderExcluir
  5. Adoro Mario Quintana, lembra minha infancia, assim como diversos outros.
    Gostei do blog!

    beijos

    http://joycebc.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Belleza de blog, tanto en palabras como en imágenes, un gusto pasar por aquí...

    Saludos!

    ResponderExcluir
  7. Hermosa primavera descrita en esos preciosos versos de Mario Quintana, gracias por compartir. Las imágenes muy adecuadas al poema muy bonitas.
    Un abrazo lleno de ternura y feliz fin de semana.
    Mau

    ResponderExcluir
  8. Memorables poemas de Mario Quintana, Nelson.
    Siempre sigo aprendiendo belleza de tu blog.
    Un fuerte abrazo

    ResponderExcluir
  9. Beautiful as ever. I did not know Mario Quintana wrote the Sorcerer's Apprentice. Thank you for sharing.
    Love
    Valentina

    ResponderExcluir
  10. Good Night, because it was not yet sleepy, I finally decided to go for a walk greet you :)

    ResponderExcluir
  11. Rico espaço você cultiva. Belo Jardim da Literatura. Estou seguindo desde já.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  12. Mario Quintana pra mim sempre foi um dos maiores

    Criação de Sites

    ResponderExcluir
  13. Beautiful blog, interesting subjects.
    Saludos!

    http://maria-leveninalmere.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thank you for the information. Very useful for me and other readers.

      Excluir
  14. Linda primavera da qual já sinto saudades! Gosto muito de Mário Quintana. E gostei bastante do seu blog, Nelson. Obrigada pela visita e pelas palavras, que retribuo com prazer.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  15. Un blog genial, que merece la pena ser leído y amado. Te invito a conocer mi blog, participa en solidario en la blogoteca. Y si te parece que merece un voto, desde ya muy agradecida!!! Ya faltan días nada más para poder votar!! Hasta el 3/2/12.

    ResponderExcluir
  16. Maravilloso poema y reseña biográfica de Mario Quintana, todo un lujo conocer más a fondo su trayectoria literaria y sus obras.

    Abrazos alados.

    ResponderExcluir
  17. Passando p/ conhecer teu blog e agradecer a visita ao meu.
    Tudo de muito bom gosto por aqui.
    Parabéns!
    Vou ficando!!

    Bjs!

    ResponderExcluir
  18. Beautiful pictures!

    http://angellasfashion.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  19. Hello! Thank you for your visit, blog page, I have visited and liked it very much, I will visit again, Goodbye.

    ResponderExcluir
  20. very informative blogs, enjoyed the poems Thanks for visiting my page, following yours now.

    ResponderExcluir
  21. Interesantísimo y precioso. Muchas gracias por mostrarnos la belleza de la poesía de la que nos olvidamos tantas veces...
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  22. Oi Nelson, seu blog é ótimo!
    Tenha um ótimo final de semana, um abraço.

    ResponderExcluir
  23. Fantástico! estou impressionada com a riqueza do seu blog. Parabéns!
    www.paulamaximiano.blogspot.com

    ResponderExcluir
  24. Olá Nelson, vi seu convite lá no meu blog e vim conhecer seu trabalho. Vejo que você se dedica muito a profissão e seu trabalho é realmente brilhante, já estou te seguindo e passarei sempre por aqui para conferir seus trabalhos. Espero também contar com suas visitas em meu blog http://blogjonathancruz.blogspot.com/

    abraço e tenha uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  25. Love your blog, I'm your newest follower! I hope you'll follow me back and we can keep in touch, I love finding new blogs! xoxo

    http://joellenlove.com

    ResponderExcluir
  26. Hi Nelson...Just stop by on my travels around world to say hello and to wish you well. As always your posts don't disappoint, however, I'm still intrigued by your assessment of Manual Bandeira's poetry.

    Peace and love...
    Carolyn Moon
    Nashville, Tn.

    ResponderExcluir
  27. Amei seu blog porque adoro literatura!
    Estou seguindo já.
    Um abraço, Samantha
    http://cbnacelulas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  28. Curti muuuuuuuuuito!
    Beijos, Samantha
    http://cbnacelulas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  29. Indonesia government tutor26 friendship greetings ...
    I'm glad that the articles, I hope you can make friends and learn about the country's culture (",)

    ResponderExcluir
  30. Olá Nelson,obrigada pela visita ao meu blog,volte sempre que quiser.Linda canção.Parabéns pelo blog.Um abraço.

    ResponderExcluir
  31. Seu blog é muitíissimo interessante, traz sempre informações boas. Parabéns.

    ResponderExcluir
  32. Olá, Nelson!
    Parabéns pelo seu belo espaço!!
    Vc une poesia, sensibilidade, beleza, e, de quebra, ainda nos brinda com aulas de literatura!!
    Costuma dar muito certo fazer o que se gosta...
    O talento abunda por aqui! rs
    Obrigada pela visita e pelos elogios!
    Bj
    Helô

    P.s. Escolhi Quintana pra deixar o meu recado pra vc...

    ResponderExcluir